O renting automóvel é uma solução que as empresas usam há muitos anos.  A sua flexibilidade e previsão de custos são as principais razões.

Se tem dado de caras com alguma campanha de renting automóvel é porque este serviço está cada vez mais disponível para pequenos empresários e particulares.

Mas qual é o renting automovel mais barato?

Para o descobrir, dê uma olhada as nossas campanhas abaixo de 300 euros/mês.

Para fazer uma comparação, tem que levar em conta que o renting inclui todos os serviços relacionados com o carro.

É assim que consegue ter acesso a uma viatura que não conseguiria com outro modelo de financiamento.

Não admira que quase todas as marcas automóveis tenham propostas de renting para os modelos que comercializam.

Também chamado de AOV (Aluguer Operacional de Viatura) ou “leasing operacional”, este serviço inclui:

  • manutenções obrigatórias
  • IUC
  • seguro
  • pneus

E porque se trata de um serviço, não temos de nos preocupar com a desvalorização da viatura.

Aliás, algumas gestoras e marcas automóveis permitem que os clientes particulares fiquem com o automóvel usado no final do contrato. Para pagar , fica o valor do mercado estabelecido nessa altura pela proprietária do veículo.

Ou então, devolver a viatura, estabelecendo ou não novo contrato para aceder a um outro carro, seguramente mais actual do que o anterior.

Renting automóvel para empresas

O renting é utilizado pelas empresas há muitos anos para equiparem ou renovarem o seu parque automóvel.

Mas este serviço nascido para o mercado profissional está a ser cada vez mais procurado por particulares, que são atraídos pelas rendas atraentes e pela promessa de ter carro novo sem preocupações com despesas imprevistas.

Pode até usar um simulador de renting automovel para escolher a sua viatura de acordo com vários critérios.

O facto de ter sempre o mesmo custo mensal é outro dos motivos que faz com que algumas empresas preferiram esta modalidade de financiamento.

No entanto, os custos fiscais e a facilidade de renovação de frota é outro dos motivos que leva as empresas a utilizar renting.

 

Renting automóvel para particulares

Uma forma fácil de compreender o que é o renting automóvel é comparar com o arrendamento de uma casa.

E isso começa logo por uma coisa muito simples: o pagamento de uma renda mensal em troca do usufruto de um bem.

Um contrato de renting tem uma duração de 12 a um máximo de 54 meses.

O utilizador tem o dever de cuidar da viatura. Para isso, tem que efectuar todas as manutenções no tempo previsto (com o pagamento já previsto na renda) e utilizar o carro sem colocar em causa a sua segurança.

Obviamente, é também responsável por todas as infracções de trânsito, bem como pelo pagamento de estacionamento e portagens quando devidos. A gestão de alguns destes serviços pode estar também incluída na renda mensal.

O inquilino também é responsável por todos os estragos e alterações no imóvel. E é obrigado a deixar a habitação no estado em que a arrendou. No renting automóvel, passa-se o mesmo. O utilizador também vai ter que devolver a viatura nas condições em que esta lhe foi entregue, salvo o natural desgaste da utilização.

 

E o valor residual?

A propriedade do veículo é da gestora de frota ou locadora que faz o aluguer da viatura. No final do contrato, esta pensa vendê-la por um determinado montante que previu quando o contrato iniciou.

É a isto que se chama Valor Residual, uma componente muito importante para o apuramento da renda mensal. Quanto maior for o valor residual, menor será o custo mensal do aluguer do automóvel.

Se o carro não se encontrar nas condições estabelecidas no contrato, a gestora tem o direito de cobrar ao cliente os custos que teve para reparar a viatura. As situações mais habituais são danos na carroçaria e no interior, como o desgaste exagerado dos estofos.

Estes são os custos de recondicionamento, que podem ser salvaguardados por um seguro que cobre o pagamento até um determinado valor.

Por isso, se optou ou vai optar pelo Renting de uma viatura, tenha em mente que:

  • Não é proprietário do carro
  • Terá de pagar todos os danos quando o devolver, por isso, se não quer surpresas no final do contrato, efetue um seguro de recondicionamento
  • Tem a obrigação de o manter o carro. Isso significa que terá de efectuar todas as manutenções previstas (gratuitas, se incluídas no contrato, mas que, algumas vezes, não incluem material de desgaste) e de o mandar reparar quando necessário (sem custos se a reparação estiver coberta pela garantia)
  • Deve levar o veículo à inspecção na data prevista
  • O serviço “Pneus ilimitados” não cobre danos provocados por negligência ou uso indevido
  • Deve escolher o modelo em função do que realmente necessita
  • Deve fazer um contrato pelo tempo necessário e próximo da quilometragem prevista para tornar a solução mais económica